Roberto Castro Neves

Neste último semestre tive a matéria chamada Teoria de Opinião Pública.  O que vem a ser Opinião Pública? Entre outras coisas aprendi que a Opinião Pública sempre parte de uma opinião individual, precisa ter controvérsia, como Sidinéia Gomes Freitas:

“Falar de opinião pública é assunto apaixonante e controverso” (Portal RP).

E nem sempre é uma opinião da maioria e unânime.

Para Cândido Teobaldo:

“A área de entendimento comum das pessoas que constituem o público, após ampla discussão da controvérsia levantada, à base de considerações racionais”  (Abordo da Comunicação).

Para ser sincero existem inúmeras definições sobre Opinião Pública, mas gostaria de indicar o livro do carioca Roberto de Castro Neves: Crises Empresariais com a Opinião Pública: Como evitá-las e administrá-las Casos e Histórias. De uma forma bem humorada ele explica a importância da Opinião Pública diante os públicos, sobre  o gerenciamento de crise.

Vejam algumas frases dele para despertar teinteresse para leitura deste livro:

“Qualquer empresa, independentemente de tamanho, ramo de atividade, origem, reputação, pode vir a enfrentar uma crise com a Opinião Pública.”

“No que tange a empresas, nada que elas façam pode ser escondido dos olhos do mundo e eximido do julgamento da opinião pública.”

“Outro fator que aumentou o repertório das CEOPs (Crises empresárias com a Opinião Pública) é a ampliação da democracia, tanto no que diz respeito à manifestação de opinião quanto na conscientização e conquista de novos direitos: direitos trabalhistas, direitos do consumidor, direito das minorias, etc.”

“Aquelas manifestações de rua queimando bandeiras, jogando pedras na polícia, fazendo barricadas, lançando fogo nos carros não é a Opinião Pública propriamente dita.”

“Mas o que interessa é entender que opinião de um grupo não é a opinião pública. Não é a legítima Vox Populi.”

“Um grupo de interesse é uma organização constituída por pessoas que compartilham pelo menos um interesse comum e que atuam em prol do seu objetivo.”

“Lembre-se, a “credibilidade” é o último trunfo para virar o jogo. Ela tem que ser preservada custe o que custar.”

“Crises sem publicidades são mais fáceis de serem gerenciadas do que aquelas que estão na mídia, não que sejam mais fáceis de serem resolvidas.”

“Imprensa é um negócio como outro qualquer, briga no mercado para conquistar consumidores de seus produtos, produtos esses: informação e opinião. O problema da mídia chata desinteressante é que ela não dá conta da voracidade dos leitores, não satisfaz. Os escândalos são ótimos e as crises empresarias caem como uma luva nos requerimentos de mídia-espetáculo.”

“Querendo ou não, a mídia acaba julgando as questões antes dos tribunais.”

“Boatos é o cupim da comunicação e os boatos externos são mais difíceis de controlar. A internet potencializa muito isso.”

“Falar em beneficio é difícil, mas vamos a alguns deles: empresas as sacudidas, a crise dá visibilidade a organização, melhora o relacionamento externo, coisas que são necessárias são feitas, acontece um choque de idéias e o mais importante fica alerta para as crises futuras.”

Leiam.

Anúncios

Um pensamento sobre “Roberto Castro Neves

  1. Pingback: Tweets that mention Roberto Castro Neves « Versátil RP -- Topsy.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s