Versátil RP em: Audiência Pública sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Relações Públicas

Charles Darwin como  já sabemos foi o grande responsavel para concentização a evolução das especies. Tudo evolui, tudo muda, talvez seja a única certeza além da morte que sabemos, nada é imutavel. Por que falo isso?

Hoje (27/08) no auditorio Ernesto Igel no CIEE ( Centro de Integração Empresa Escola) alguns dos maiores pensadores da nossa profissão estiveram reunidos na audiência pública (região sudeste) sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Relações Públicas, que teve seu segundo encontro aqui na cidade de São Paulo.  Eu e a Taís além de representar a equipe Versátil RP, fomos os únicos representantes da instituição que estudamos (FAPCOM), e nossa missão será transmitir nessas linhas um pouco do rico contéudo intelectual colhido nos debates e contribuições de representantes do mercado, da área academica e também dos estudantes presentes.

O Evento teve apoio da Aberje (Associação Brasileira de Comunicação Empresarial) e sua promoção aconteceu através do Ministério da Educação. A mesa da audiencia foi composta por uma Comissão de Especialistas nomeada Secretaria de Educação Superior representada pela professora Cleunice Rehem e composta pelos professores Margarida Kunsch (ECA-USP), Márcio Simione (UFMG), Ricardo Freitas (UFRJ), Claudia Moura (PUC-RGS), Esnel Fagundes (UFMA), Maria Aparecida  Viviani Ferraz e Paulo Nassar (Aberje/ECA-USP) ligados à formação superior em Relações Públicas.

O mediador foi Paulo Nassar que explicou  e conduziu a audiencia, contou com a colaboração das estudantes ultimoanistas da ECA/USP como assistentes, entre elas a Emiliana Pomarico , que tivemos o prazer de conhecer.  Nassar fez um panorama do perfil do estudante  de relações públicas pelo mundo, sobretudo na Europa e nos E.U.A e disse que nestes locais os cursos abordam questões como liderança, midias analógicas e digitais, habilidade escrita e oral, etc.

A pauta de discussão teve 6 assuntos, sendo  o primeiro:

1 – Qual o objetivo para formação em Relações Públicas Públicas?

Flávio Schmidt diretor de Comunicação Corporativa da Ketchum Estratégia nos convidou a refletir sobre a uma formação que alinhe os princípios acadêmicos aos princípios do mercado. Disse ainda, que a área de RP é a que tem mais definida a função, para ele o mundo esta olhando para nós e que sem dúvida será a profissão que mais crescerá nos próximos 20 anos, segundo ele os cursos tem que formar profissionais polivalentes.  Já Gisele Lorenzetti diretora executiva da LVBA Comunicação e representante da Abracom diz que temos uma identidade única e nossa maior caracteristica é que somos especialistas em gestão de relacionamentos com os públicos e este é o objetivo que nunca deve ser esquecido.

O professor Fábio França que atualmente é consultor de assuntos corporativos e ligado a ECA-SP, reforçou a ideia de Gisele e completou dizendo que as empresas não vivem mais  isoladas e o profissional de relações pública terá que saber tratar o público, pois os públicos  querem saber sobre as empresas, temos que visar as politicas empresarias e o RP  deve preocupar-se  um pouco menos com os instrumentos comunicacionais. Enernesto Nogueira , profissional da área, diz que acha vital o equilibrio entre o acadêmico e o mercadológico, pois o Brasil está em transição e o mercado precisará de profissionais gabaritados, diz  que os cursos superiores também tem a função de suprir a lacuna criada pelo ensino médio,  muitos alunos chegam às universidades sem saber escrever corretamente, as faculdades tem que formar humanistas.

Luis Alberto de Paiva citou que alguns cursos tem o contéudo voltado para o lado humanistico e outros mais tecnologos, ele acha que o objetivo de um RP é saber teoria e saber também praticar. Primeiro o aluno tem que ter condições da utilização dos instrumentos comunicacionais para depois quem sabe alcançar um cargo de planejamento em uma corporação.

Professor Ricardo Benevides opinou que além de um aluno ter orientação sobre o gerenciamento mercadológico seria ideal ter uma visão de empresas governametais.

2 – Qual o perfil desejado pelo egresso?

Marcelo Finger diz que o aluno não precisa sair sabendo gerenciar mas tem que saber como fazer tal trabalho. Professor Marcondes diz que o aluno deveria ter aulas de reputação e relacionamento e que cuidar da reputação de pessoas fisicas será o futuro. Sueli da Faculdade Rio Branco diz que o aluno chega a faculdade sem saber o que é relações públicas e que as empresas procuram pouco os profissionais da área, para ela a palavra gestão tornou-se um termo muito aberto.

Lorenzetti em sua fala nos define como “super-homens”, pois teremos que ter uma forte visão humanista, entendimento de gestão de negócio, empreeendorismo, tem que ser especialista em gestão de relacionamentos, enfim, ter habilidade e domínio de várias áreas. Os novos profissionais tem que ter conhecimento sobre redes sociais, midias digitais, mas que isso não acontece e que relações públicas é a atividade do presente e do futuro. Gisele completa falando que não basta apenas se formar é necessária  a cultura da formação continuada, os cursos devem incoporar esta cultura.

3 – Quais competências a serem desenvolvidas no curso?

A Professora Maria Aparecida Ferrari diz que temos que ter duas competências: a capacidade de solução de problemas e ser um analítico de cenários. Para Marcondes será preciso identificar quem tem ou não postura  de pesquisa, este profissional tem que ser pró-ativo, negociador, ter habilidades politicas, conversar com quem se discorda.

Para Fábio França a competência está ligado ao saber e a formação emocional é importante. Para ele é preciso ensinar postura comportamental nas universidades, deu o exemplo dos alunos de direito que sempre se diferenciam dos demais pelo seu estilo próprio e que nós relações públicas devemos ter uma postura diferenciada.

4 – Quais os contéudos curriculares orientados para a formação em Relações Públicas?

Entre as diversas áreas do conhecimento citados uma que eu nunca imaginei foi sugestionada, no caso a matematica, além de disciplinas alinhadas à áreas integradas como economia e recursos humanos. Muitos dos presentes sugiriram uma grade curricular pautada na reflexão humanistica, como a sociologia, filosofia e psicologia voltadas para o cunho das comunicações. O professor Fábio França sugeriu a lógica como umas das disciplinas fundamentais para o desenvolvimento analistico e ordenado do pensamento estratégico.

5 – Que critérios podem definir padrões de qualidade para o curso?

Professora Maria Aparecida Ferrari exemplifica dizendo que quando é lecionado psicologia o professor geralmente é formado na área e o contéudo ensinado geralmente não sai muito de teorias de Freud, Lacan, Gestalt, etc.  Mas o ideal seria a psicologia com uma reflexão possível na comunicação e suas abrangências. No caso da dispina matématica ela diz que seria importante a criação da estatica aplicada a área de comunicação.

A professora Margarida Kunsch trouxe um dado importante sobre a formação de professores na área. No Brasil existem 122 cursos de relações públicas destes há uma média de 80 funcionando, faltam professores capacitados  no mercado. Outros assuntos levantados nesta questão foram sobre iniciação cientifica, empresa júnior, trabalhar com os alunos situações reais desde o primiero semestre, pesquisas qualificadas.

6 – Que interface caracterizam a interação de Relações Públicas com outras áreas?

Professor Benevides diz que a disciplina de  marketing é a que mais se aproxima de nossa área, já para professora Maria José a sociologia está muito interligada e o professor Fernando Gonçalves cita o design.

O mestre Fábio França diz que existem cursos que existem apenas para gerar lucro, é gestão disso, é gestão daquilo. Para ele comunicação organizacional não é profissão é uma especialização.

Maria Aparecida diz que seria importante uma maior atenção à área jurídica, debates em torno do lobby, ética e legislação, noções de direito, etc. Diz ainda, que nos Estados Unidos existe uma disciplina que ensina como cuidar da questão de direito autoral.

Enfim voltando ao assunto evolução e mudanças, acredito que tanto eu como a equipe VersátilRP  (Taís, Marcela e Marina) quando participamos de eventos  com imensa agregação  de valores acadêmicos e profissionais, como este, estamos evoluido enquanto futuros profissionais, ampliando nossos conhecimentos. A cada encontro com pessoas referencias da área, que batalham pela profissão aumenta, sem dúvida, a nossa paixão pela área. Eu convido a todos a fazer parte deste processo, vamos ser os pensadores do presente e do  futuro.

Anúncios

12 pensamentos sobre “Versátil RP em: Audiência Pública sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Relações Públicas

  1. A Audiência Pública realizada hoje sob a coordenação do MEC foi excelente manifestação do interesse e da preocupação dos pofissionais de relações públicas com a sua aividade. Representou um fato raro a reunião de 100 representes da categoria, incluindo a presença de muitos coordenadores de cursos de importantes instituições de ensino, professores e alunos, que também tiveram voz na Assembléia. Após a Audiência que aconteceu em Porto Alegre a o evento de hoje, que será seguido de mais três outros, fica a expectativa de que a colaboração de todos levará à elaboração de um documento que será de fundamental importância para a identidade da profissão, aperfeiçoamento dos cursos e a consequente melhoria da qualidade da formação dos relações-públicas do Brasil.

  2. Os aportes dos profissionais durante a Audiência Públicas mostraram maturidade profissional. Esperamos que as demais audiências tragam contribuições para que o projeto a ser enviado seja da melhor qualidade e que realemnte reflita a realidade atual e as tendências para os próximos anos.

  3. Antes mesmo de falar a respeito do assunto discutido, quero dar os parabéns à equipe do VersátilRP, que fez um ótimo trabalho com a publicação desse material. Eu, como estudante e futuro profissional da área, sei que isso que vocês estão produzindo aqui com certeza as ajudarão na vida profissional, uma vez que sempre se mantém informadas acerca das mudanças da profissão, ao mesmo tempo que às políticas e ações do universo de RP.

    Acho ótimo que haja uma comissão responsável por aperfeiçoar esse curso que, aos poucos, vem ganhando espaço e reconhecimento, embora, ainda, infelizmente, não tenhamos o devido valor com relação às práticas e pensamento estratético. Falo isso porque, muitas empresas ainda não têm conhecimento do que realmente faz este profissional. Claro que cabe a nós mudarmos este cenário, no entanto, é importante que as organizações fiquem atentas ao nosso potencial e ao que realmente podemos oferecer a elas.

    Obrigado!

  4. Parabéns á equipe da Versátil pela excelente cobertura e pela publicação da matéria. Isso permite que o conteúdo da Audiência seja compartilhada para os mais de 100 presentes e motive mais profissionais e estudantes a postarem suas contibuição ao tema na consulta pública do MEC.
    Acho que podemos sintetizar a sexta-feira numa única palavra: MOBILIZAÇÃO. Foi isso o que vimos por parte dos profissionais e estudantes que deram contribuição ao debate. É isso o que vimos da Comissão, presidida pela profª Margarida. E é isso também que sentimos nas manifestações da profª Cleunice, representando o MEC.
    Excelente ponto de partida!

  5. Olá pessoal da Versaril RP,

    Sou Alexandre, Diretor de Comunicação e Marketing da ECA Jr. Como já respondi o comentário da Taís no nosso blog: Fico feliz em ver que há estudantespessoas engajadas nesse processo e que vocês além de participar estão disseminando o conhecimento que absorveram durante a audiência.

    O post ficou bem feito e completo. Já estamos seguindo vocês no Twitter.

    Beijos!

  6. Parabéns pela participação no evento e pela divulgação das informações.

    É super importante uma representação da faculdade num evento tão importante como este.

    Qua as mudanças venham, e venham para melhor!!

  7. Obrigado a todos que comentaram até aqui, eu fiquei muito feliz de ter participado da audiência.

    Só esqueci de propor que fossem agregadas a grade o inglês e espanhol , já que foi debatido sobre isso por lá.

  8. Parabéns, o blog está muito bom, e o texto foi bem completo com tudo que se passou, assim como é importante pra faculdade alguém lá, a representando, é importante para nós futuros RP’s conhecerem o que anda acontecendo com o nosso e nossa futura carreira.
    Parabéns novamente!

  9. Pingback: E a Proposta Foi Enviada ao MEC «

  10. Pingback: Cadê a Comunicação Social? MEC decreta: agora Bacharéis em Relações Públicas | Versátil RP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s