Reflexões de um jovem Relações Públicas

No meu último post sobre lobby algumas controvérsias foram levantadas e amiga Ludimila Costa me ajudou a solucionar ou pelo menos refletir sobre o assunto. Perguntei a alguns professores e a conclusão é que o lobby é um assunto pouco conhecido ainda mesmo entre os estudiosos. Fui à biblioteca de minha faculdade e peguei o livro de Said Farhat: Lobby. O que é. Como se faz. Ética e transparência na representação junto a governos e logo poderei falar melhor sobre o assunto.

Sobre meus textos serem ou não linear avaliei que devo mesmo organizar melhor minhas idéias como um dia o professor Fábio França, que se diga passagem com toda sua erudição é um ser extremante humilde,  me falou sobre o uso da filosofia como ferramenta de pensamentos claros.

Mas meu intuito na verdade é falar de etiqueta, conduta não só na profissão, mas também em nossas vidas. Como sempre costumo falar minha inspirarão e “guru” tem o nome de Denise Aquino, ela tem todo aquilo que meu imaginário de uma profissional de relações públicas tem que ser.  Em primeiro lugar ela analisa o ser humano de uma forma holística em suas avaliações, o mundo capitalista e pós-moderno que é tal de um pisar na cabeça do outro, ela é um exemplo de onde quero chegar dentro da profissão. Porque falo isso?

Recentemente percebi que alguns profissionais aprendem todo tipo de formação humanística em seus cursos de formação como psicologia, filosofia, sociologia e no dia a dia não utilizam. É professor que não estimula a cultivar os sonhos dos alunos como disse o professor Chamusca em meu Twitter depois de uma frustração minha com um professor para um projeto que considero importante, que prega o profissionalismo e na vida real tenta podar expectativas, veja o que o professor Chamusca me falou: “somos uma espécie de jardineiro de sonhos. Temos que cuidar com carinho e respeito dos sonhos de cada aluno, para que ele possa florescer!”. Por outro lado também ele continua e incentiva: “o professor não pode podar sonhos. Sonho é pra ser sonhado! E o impossível não existe para quem deseja ardentemente alguma coisa.” Sendo assim depois dessa decepção com um professor ao menosprezar um projeto da minha equipe, serviu como combustível para agora correr atrás para fazer o melhor possível.

O mesmo acontece com alunos, tenha um exemplo bem próximo de uma colega de faculdade que é de uma dissimulação impar. Ou uma professora que depois de questionada sobre a falta de comprometimento que acabou gerando uma tentativa de debate para melhorias, mas esta perdeu o controle  e as  estribeiras  e ainda em uma atitude infantil ignorou uma aluna em um evento.

E tendo como gancho o último texto da minha amiga Taís sobre feeling acho que ser relações públicas é algo que já se encontra no DNA de quem é relações públicas. Somos seres humanos com todos os defeitos de um, mas existem coisas que podemos evitar como a hipocrisia, demagogia, egoísmo e “estrelismo”.

Anúncios

3 pensamentos sobre “Reflexões de um jovem Relações Públicas

  1. Diego,

    que bacana seu texto. Sinto regularmente uma vontade de desabafar e dizer o que sinto em relação a postura de alguns profissionais. Recentemente tentei fazer isso com um texto postado no OrasBlog! mas acredito que não fui direto ao assunto.

    Trocamos muitas idéias por aqui e acompanhamos um o trabalho do outro, me sinto a vontade para dizer que gostaria que este desabafo fosse meu.

    Quanto ao professor eis uma frase de Shakespeare fantástica: “…nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens; poucas coisas são tão humilhantes… e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso”.

    Um grande abraço querido!

    Rodrigo Almeida
    @almeida021

  2. Oiie Diego,
    Acho q este blog é uma ótima iniciativa de vcs… mas não acho que esse post caiba para o blog!!!
    Mtos erros de português… além de falar de profissionalismo de professor… Vc não pode expor assim… Vc é um RP e deve zelar… e ter ética em tudo q se fala…
    é só uma dica…
    tem mto o q aprender ainda…

    • Agradeço seus apontamentos. Tive um outro feedback sobre o assunto, mas vou reavaliar, pode ter certeza.

      “Diego,

      que bacana seu texto. Sinto regularmente uma vontade de desabafar e dizer o que sinto em relação a postura de alguns profissionais. Recentemente tentei fazer isso com um texto postado no OrasBlog! mas acredito que não fui direto ao assunto.

      Trocamos muitas idéias por aqui e acompanhamos um o trabalho do outro, me sinto a vontade para dizer que gostaria que este desabafo fosse meu.

      Quanto ao professor eis uma frase de Shakespeare fantástica: “…nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens; poucas coisas são tão humilhantes… e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso”.

      Um grande abraço querido!

      Rodrigo Almeida
      @almeida021”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s