Entrevista – Carol Terra

Continuando nossas entrevistas com participantes do Intercom Sudeste 2011, hoje batemos um papo com Carol Terra, doutoranda e mestre pelo Programa Ciências da Comunicação da ECA-USP; pesquisadora na temática das novas tecnologias de comunicação, principalmente as redes sociais online; diretora de mídias sociais da Agência Ideal; professora do curso de relações públicas e publicidade e propaganda da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP) e também da pós-graduação em Gestão da Comunicação Digital da ECA-USP. E também autora do livro Blogs Corporativos: modismo ou tendência, pela Difusão Editora.  No Intercom falará sobre “Marcas de peso e sua presença nas Mídias Sociais”. Vamos ver como foi seu bate papo com o Versátil:

Versátil: O que você espera do Intercom?

Carol Terra: Eu sou uma entusiasta de eventos de comunicação, então eu espero encontrar pessoas e aprender. Tenho certeza de que com alguma coisa nova eu vou sair dali.

V: Você tem medo de pesquisa empírica?

CT: De jeito nenhum! (risos) eu gosto muito de pesquisa empírica, mesmo na área acadêmica eu sempre me preocupei com a pesquisa de campo. Só a teoria sem a prática, fica capenga, e o inverso idem. É sempre importante pesquisar o que esta acontecendo na área com um olhar cientifico. E também porque eu estou nas duas áreas, no mercado e na academia, e é muito importante ver os dois lados da moeda.

V: Você tem essa opinião hoje ou mesmo quando era só estudante pensava assim?

CT: Essa maturidade veio com o tempo. Quando eu estava na faculdade a minha preocupação era entrar no mercado, em uma empresa grande. Eu não queria seguir pela área acadêmica, e depois da minha primeira pós-graduação eu me apaixonei pela área acadêmica e resolvi levar as duas em paralelo. A idéia hoje é trazer a academia para dentro do mercado e o mercado para dentro da academia.

V: O que podemos esperar da sua palestra no Intercom?

CT: Na verdade o artigo que eu escrevi para o Intercom é parte da tese  meu doutorado. Fala sobre um instrumento que eu criei para mensurar a presença das empresas nas mídias sociais. Então vou contar um pouco sobre o caminho que eu percorri, e mostrar uma matriz que eu criei que faz a mensuração da quantidade de canais e o engajamento que as empresas criam com os usuários. Qualifico as interações da empresa com o usuário, analiso o conteúdo, presença pró-ativa ou reativa. Mostrarei os cases das vinte empresas que eu analisei para fazer essa matriz, as marcas mais valiosas e mais influentes do Brasil. Preocupei-me em pegar marcas brasileiras para termos uma realidade bem próxima da gente.

V: Qual a importância desses eventos e outros eventos de comunicação na área de RP?

CT: É fundamental! Faz parte da formação, da atualização, da reciclagem, esses eventos estão na essência das relações públicas, estabelecer relacionamento. Você conhece pesquisadores que estão falando de temas que são afins aos seus. Você vê uma nova aplicação pra algo que já foi estudado. É muito interessante para a troca de conhecimento, para dialogar com essas pessoas, pra apresentar novas propostas,conhecer novas metodologias. É super valido, tanto para que estuda, para quem já é profissional, para os acadêmicos, e para os que estão no mercado.

V: Temos visto o aumento da procura pelo curso de RP. Você acha que realmente somos uma profissão do futuro?

CT: Eu acredito que RP já seja a profissão do presente. Já crescemos muito nos últimos anos, e o mercado já entendeu  o que o RP faz. Já entendeu que cada organização precisa de instrumentos de divulgação, de transparência, de dialogo, de relacionamento, e que o  profissional mais adequado para gerir isso é o profissional de comunicação. Viramos definitivamente o gestor da comunicação. Não que as outras habilitações de comunicação não sejam capazes. Muito pelo contrario, elas também crescem com isso, mas o RP acaba sendo o sistematizador de toda a comunicação, ele tem a visão do todo. O planejamento de comunicação abarca todas as habilitações. Ou pelo menos deveria abarcar. Isso faz com que sejamos uma profissão de destaque, inclusive saímos no ranking das 10 profissões mais promissoras da próxima década, estávamos ao lado de engenharia ambiental, tecnologias, dada a importância que temos. Acredito que já somos uma profissão de destaque e muito brilho.

V: E hoje, as redes sociais se tornaram um dos principais instrumentos de RP?

CT: É algo que esta muito em alta,  mas não podemos esquecer de RP se passa em um planejamento completo de comunicação, e olhando nesse viés, mídias sociais é uma das opções que temos. Antes disso, precisamos nos preocupar com o funcionário, fazer um planejamento estratégico de comunicação que independe de ser em um ambiente on line ou off line. Preocupar-se com canais específicos direcionados a cada segmento de público. Então, não devemos nos apegar ao instrumental, temos que nos apegar à essência dos relacionamentos. E mídias sociais, é mais um instrumento, uma ferramenta pra trabalharmos isso, é algo que esta super em alta porque tem tudo a ver com RP, se trata de relacionamento, dialogo, contato, mas não significa que estamos restritos a isso.

V: Você acha que faltam professores, pesquisadores e produtores de conteúdo científico na área de comunicação?

CT: Nos temos poucas pessoas que se dedicam à área acadêmica mesmo. As pessoas vão muito mais para o mercado do que para a universidade, então seria maravilhoso se tivéssemos mais  pesquisadores, produtores de conteúdo… Tomara que as pessoas que vão ao congresso se encantem com a área porque ela é muito legal mesmo. E estar na área acadêmica não significa que você precise estar só nela pro resto da vida. O fato de você ensinar outras pessoas é muito gratificante. E sem pesquisa na área acadêmica, o mercado não se desenvolve, ele é muito prático, mas precisa de base teórica, alicerces pro mercado andar melhor.

Não vou dizer que seja fácil conciliar academia e mercado, aliás é muito difícil, mas vale a pena.

Inclusive o fato de ter pesquisador nas agências, torna-se um diferencial para ela e valoriza o profissional.

V: Você pode deixar uma mensagem pra quem vai ao Intercom?

CT: Desejo um super congresso! Eu fico muito feliz por encontrar pesquisadores, gente que admiro, grandes autores, temos acesso a pesquisas de outras pessoas, estudos de casos. Então façam um bom proveito pois é uma super chance de atualização, relacionamento, dialogo.


Agradecemos muito pela conversa e convidamos a todos para conferir a palestra e os trabalho da Carol Terra, uma das RPs mais requisitadas e simpáticas que conhecemos.

Marcela Oliveira e Marina Faria.

Anúncios

7 pensamentos sobre “Entrevista – Carol Terra

  1. Versáteis, foi um prazer recebê-los para o nosso bate-papo. Continuem com esse entusiasmo pela nossa profissão/atividade! Sucesso, sempre! Beijos, Carol Terra.

  2. Não tenho nem o que falar sobre a entrevista, está maravilhosa. A Carol Terra é uma das profissionais que admiro muito, e tento me espelhar! Parabéns, meninas.

  3. “Eu acredito que RP já seja a profissão do presente” – inspirador!!
    Parabéns meninas e novamente muitooo obrigada Carol, sempre deixando esse blog mais belo!!! =D

  4. Amigos,

    Gostaria de entrar em contato com a Profª. Carol Terra.

    Atenciosamente,

    Waldyr Montenegro
    Presidente Conrerp 6ª Região

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s