Encontro com jornalistas escritores no Congresso Mega Brasil de Comunicação 2011

O encontro com Mauricio de Sousa, Audálio Dantas (que substituiu Ziraldo que não pode ir por estar com dengue) e Caco Barcellos – que chegou um pouco mais tarde, pois achou que o evento era no Memorial da América Latina –, foi bárbaro! Pudemos conhecer histórias, desafios e dicas de três ícones da literatura brasileira. As conversas fluíram naturalmente e com tom descontraído.

Mauricio antes de começar a contar suas histórias pegou sua câmera e tirou fotos de todos os ângulos para alimentar seu vício no Twitter Depois disso, começou sua história. Contou que quando tinha entre 17 e 18 anos entrou em um jornal e o editor-chefe afirmou que seus desenhos não dariam certo. Nesse mesmo jornal trabalhou como repórter policial, com o detalhe de ter medo de sangue! Durante esse tempo pode aprimorar seus desenhos e apresentou o Bidu ao mercado brasileiro, e assim tudo começou. Disse que jornalista não é a mesma coisa que escritor, há um longo caminho de um para outro. Foi importante ser repórter pois aprendeu a arte da concisão, e hoje se considera escritor e não somente desenhista. Depois de 50 anos, tornou-se o primeiro acadêmico aceito na Academia Paulista de Letras com textos publicados em balões de quadrinhos.

Para Mauricio, a melhor maneira de começar a escrever é começar a escrever! E o final de qualquer história é o mais difícil. Sempre procura um desfecho divertido, leve, inesperado, e isso pode demorar muito.

#Ficadica de leitura do Mauricio: “Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil” – Leandro Narloch

Caco Barcellos nos contou que aprendeu a ler com sua mãe, que era semi-analfabeta e lhe ensinava com as placas das ruas. Tornou-se jornalista por acaso, ia mal em português no colégio e foi quando fazia engenharia que passou a escrever para o jornal da faculdade. Para ele, todo o processo de criação de uma reportagem, peça de teatro ou livro é muito sofrido. Cada frase pode ser escrita de uma melhor forma. Fato para ele é que a melhor parte é a apuração. “Na apuração você conversa, vê gente, a escrita é um ato solitário”.

#Ficadica de leitura do Caco: “O Emblema Vermelho Da Coragem” – Stephen Crane

Para Audálio Dantas o grande problema de escrever é encontrar o ponto final, nunca consegue encontrá-lo quando esta escrevendo qualquer obra. “Todo autor precisa que uma editora o cobre e sequestre seu livro para que ele acabe”. Está em um novo trabalho sobre o jornalista Vladimir Herzog e mesmo sabendo que há outros livros sobre ele, tem ciência de que sempre tem outras palavras para contar o que quer que seja, e isso pode ser bom ou ruim. Disse que todo jornalista tem um rito obrigatório antes de ser jornalista: ser leitor. E dentro das discussões sobre a obrigatoriedade do diploma de jornalista, contou-nos sobre uma senhora que mora na periferia de uma cidade e que escrevia com primor sobre a realidade ao seu redor, usando de recursos de linguagens riquíssimos. Uma das suas matérias mais lidas foi feita com base nos escritos de uma senhora que estudou somente o primeiro grau.

 #Ficadica de leitura: “Os Sertões” – Euclides da cunha

Agradecemos ao Mundo RP por nos ter proporcionado este encontro! Foi uma noite de muito conhecimento e aproximação com o universo dos grandes jornalistas escritores.

Anúncios

4 pensamentos sobre “Encontro com jornalistas escritores no Congresso Mega Brasil de Comunicação 2011

  1. Acredito que o Maurício auxiliou na alfabetização de milhares de crianças, inclusive eu! Não consigo recordar quando foi o meu primeiro contato com a Turma da Mônica, só sei que até hoje não posso ver uma revistinha dando bobeira. Só podemos agradecer essa ilustre figura!

    É sempre bom ser motivado por pessoas tão bem sucedidas, e que mesmo assim demonstram que os bons textos não precisam de muito mais que criatividade e percepção.

    Parabéns a toda equipe Versátil!

    • Eu consegui meu primeiro emprego por causa da Mônica, e aproveitei a oportunidade para agradecê-lo pessoalmente por isso!
      Foi um prazer tê-lo conhecido, é uma pessoa agradabilíssima!

      Nós é que agradecemos!

  2. Eu tive a oportunidade de falar ao Mauricio de Souza que eu ainda me empolgo com as histórias da turma antiga, quando as crianças usavam a imaginação para brincar.

    Valeu @nana_faria

    • Mauricio realmente é uma figura única!
      Eu que agradeço @Galofero!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s