Congresso Internacional ALARP é no Brasil sil sil sil

974622_701776883216908_625117118_nHola, hermanos!

O Versátil RP apresentará para vocês um evento tão grandioso quanto a Copa do Mundo de Futebol. O XIV Congresso de Internacional de Relações Públicas e Comunicação acontecerá no mês de outubro na cidade de Salvador.

A ALARP (Associação Latino-Americana de Relações Públicas) foi criada em 1998 aqui mesmo no Brasil, sendo liderada, primeiramente, por Eduardo Judas Barros, falecido no ano de 2008. Eduardo era indiano de nascimento e começou seu trabalho no Brasil na década de 1980 e entre outros tantos trabalhos foi professor de um dos mais importantes cursos de Relações Públicas do Brasil, o curso da Universidade Estadual de Londrina (UEL), e presidente da ALARP.

A principal missão da ALARP, desde seu surgimento, é:

“Unificar esforços que atendam aos objetivos comuns no desenvolvimento profissional das Relações Públicas na América Latina.”

Argentina, Chile, Brasil, Paraguai e Colômbia são países membros da ALARP e outros quatro países estão em fase de integração. Desde sua fundação, foram realizados 13 congressos internacionais. O décimo quarto congresso, que ocorrerá entre os dias 22 e 24 de outubro, terá a parceria do Portal RP-Bahia (Criado em 2003 por Marcello Chamusca e Márcia Carvalhal na época ainda estudantes de RP), e da VNI Comunicação Estratégica Digital (iniciou suas atividades em 2006 e foi a pioneira em comunicação digital na Bahia).

No último congresso, no Chile, os relações-públicas brasileiros Marcello Chamusca e Márcia Carvalhal assumiram a direção da ALARP. O Versátil RP entrevistou o já de casa Marcello Chamusca para saber mais sobre o congresso e sobre a atuação da dupla na ALARP.  

VPR – Como vem sendo sua gestão como presidente da ALARP? Quais são os desafios?

MC – Desde que assumimos a direção internacional da ALARP temos buscado de forma incansável dar um maior dimensionamento acadêmico à instituição. Temos vários projetos em andamento que envolvem a publicação de livros, formação de um grupo internacional de pesquisa (para o desenvolvimento de pesquisas envolvendo vários países da América-Latina) e a criação e desenvolvimento de um espaço acadêmico-científico de fomento à pesquisa e à produção técnico-científica, em nível avançado (envolvendo pesquisadores mestres e doutores) e em nível de iniciação científica (para influenciar positivamente na produção dos estudantes da área) no XIV Congresso Internacional de Relações Públicas e Comunicação (ALARP 2014), que se encontra com chamada aberta para participação de toda a comunidade.

Aproveito inclusive esse espaço para convidar os pesquisadores a participarem do ALARP 2014 apresentando o seu trabalho. Lembro que os 20 melhores trabalhos de cada categoria, além de serem publicados nos anais do congresso, como todos os outros, também serão publicados em livros. Mais informações sobre como participar podem se encontradas no endereço: http://www.alarpbrasil.com.br/chamada-de-trabalhos/

VPR – Há algum case que possa dividir conosco?

MC – Só tenho seis meses na direção internacional da ALARP, por isso, os projetos ainda estão todos em fase inicial de execução, mas num futuro breve, certamente, teremos. A princípio, posso dizer com toda a certeza de que trazer o congresso internacional para o Brasil já foi uma grande vitória, que acredito que já é motivo de comemoração e orgulho para toda a comunidade de Relações Públicas do Brasil, pois pela primeira vez teremos um congresso específico da área com um público de cerca de mil participantes. Ou seja, não se trata apenas do maior congresso de Relações Públicas que ocorre em 2014, em todo o mundo, mas também do maior congresso de Relações Públicas que já foi realizado no Brasil, no ano que a nossa profissão faz 100 anos em território brasileiro. Para nós é um orgulho enorme contribuir para o crescimento e o avanço da nossa profissão na América Latina

VPR – Na América Latina qual é o país que melhor reconhece o profissional de Relações Públicas?

MC – Essa é uma pergunta difícil, pois temos características bem diferentes e realidades diferentes em muitos sentidos e semelhantes em outros. Por exemplo: o único país em que se exige diploma específico da área para o exercício profissional é o Brasil. Na realidade, em alguns países da América Latina como a Argentina, por exemplo, a formação em Relações Públicas existe em duas dimensões: a dimensão técnica (compatíveis com o curso de segundo grau do Brasil, só que com vertente profissionalizante, como tinha antigamente no Brasil, os cursos técnicos em Administração, Contabilidade, Magistério, etc. – que eles chamam de carreiras) e a acadêmica (em Licenciatura, ou seja, na formação de professores). Como as realidades na formação são muito diferentes, o contexto também muda. Fora isso, existem casos como o da Colômbia em que conceitualmente Comunicação Organizacional e Relações Públicas são a mesma coisa. Nesse sentido, a maioria dos profissionais que atuam em Relações Públicas não possuem formação específica em Relações Públicas, mas genérica em Comunicação. Por isso, acredito que participar de um evento em que teremos pessoas (palestrantes e participantes) de praticamente todos os países latinos pode ser uma experiência tão rica e que considero imperdível.

VPR – O que podemos esperar do XIV Congresso Internacional de Relações Públicas e Comunicação? Pode nos adiantar algum fato inédito deste congresso?

MC Claro. Podem esperar um congresso com a cara de Salvador, da Bahia, do Brasil. Ou seja, serão todos muito bem recebidos, com um sorriso no rosto, e a alegria que só o baiano tem, e certamente participarão de um evento bastante eclético, com muitos tipos de atividades: conferências, palestras, mesas redondas, painéis, sessões de apresentações de trabalhos acadêmicos, mini-cursos, oficinas, etc. Praticamente todos os mais reconhecidos profissionais brasileiros da área já confirmaram participação e alguns dos mais importantes profissionais do nosso continente também. Além disso, muita interação, troca de informação, conhecimento e acima de tudo crescimento na sua carreira profissional, seja por causa do network que o evento proporcionará, seja pela qualidade dos convidados que farão parte do programa do evento. Além, é claro, das diversas homenagens que faremos durante o congresso, na qual o blog VersatilRP está incluído.

VPR – Para você o que falta para o Brasil ser um expoente das RPs em âmbito mundial?

Acredito que o Brasil já seja um expoente mundial da área, pela sua produção acadêmica bastante significativa e pelo seu mercado altamente abrangente e de muitas oportunidades para os profissionais da área. Mas para assumirmos a ponta mesmo, acredito que precisamos abrir a profissão. Não podemos mais deixar que a nossa profissão tenha fronteiras. As pessoas precisam conhecer as Relações Públicas e isso só conseguiremos com abertura ampla e irrestrita, como existe nos Estados Unidos e em parte da Europa. Espero que o congresso internacional da ALARP em Salvador possa contribuir e inspirar essa realidade. Mas tudo só será possível se estivermos juntos. Por isso, convoco toda a comunidade para vir construir conosco a história das Relações Públicas no nosso país e no mundo, nos dias 22, 23 e 24 de outubro. Conto com todos vocês!

Local: Othon Palace Hotel

Data: 22 a 24 de outubro de 2014

Salvador/BA

Para mais informações – http://www.alarpbrasil.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s