Relações Públicas e Heavy Metal

Não, você não leu o título errado. Estou falando de guitarras altas e distorcidas, ritmos enfáticos e pessoas balançando as cabeças interligado com Relações Públicas. Nesse post você vai conferir uma entrevista com Rodrigo Cafundó e entender porque essa combinação pode dar certo.

Formado na Fundação Karnig Bazarian (FKB) em 2005, além de Relações Públicas de uma instituição de ensino, docente na mesma instituição em que se formou, Rodrigo é músico, vocalista da Angels Holocaust, sua banda de Heavy Metal, e apaixonado pela profissão de RP: “Até hoje comento com alunos e amigos que certamente fiz a escolha certa”.

A primeira pergunta do blog ao RP foi sobre o início dessa história:

Rodrigo Cafundó: Em 2009 eu já era docente da área de Comunicação Social e, o fato de ser músico e Relações Públicas, na verdade, sempre me ajudou em todos os processos da minha vida. É corrido mas, sempre prazeroso. Eu iniciei minhas atividades musicais muito antes das Relações Públicas. Foi em 1997 e, de lá para cá, realizei muitos trabalhos na área musical, além de ter aprendido muito com várias experiências locais. Decidi formar o Angels Holocaust no final de 2008. Havia formatado a ideia e, principalmente, o conceito da banda. Pois bem, desde 2009 estamos na ativa produzindo várias ações para a banda.

 O RP e músico também contou ao Versátil RP sobre o tema da banda, a escolha do nome e da identidade visual, tudo influenciado por ele:

Rodrigo Cafundó: Sou fã de uma grande banda de Heavy Metal, o Iced Earth e sempre fui muito influenciado por eles. Como eu já havia decidido que nos primeiros trabalhos da banda o conceito lírico seria pautado em apresentar/debater os horrores do Holocausto, imediatamente me veio à mente a música “Angels Holocaust”, do grupo em questão. Foi uma escolha natural.
Com relação a identidade visual da banda, eu mesmo desenvolvi todo o conceito. Tive a ajuda extremamente importante da Aline Tereza, uma profissional de criação que captou assertivamente todo o conceito e desenvolveu peças incríveis, comoo logo da banda que é um perfeito ambigrama.

Segundo Rodrigo, “ser RP é exercitar os conceitos da profissão diariamente”, portanto, ele conta que também faz isso com a Angels Holocaust:

Rodrigo Cafundó: A atual estrutura da banda conta com um planejamento detalhado de ações, análise de cenário, muita prospecção e claro, o trabalho intenso na criação e manutenção de uma boa imagem da banda. Utilizo os conceitos e diferenciais competitivos da nossa profissão na rotina da banda.

Além disso, o RP tem trabalhado em alguns projetos da banda, como o apoio a uma Campanha de Doação de Órgãos (“Escrevendo Outra Canção”) que visa conscientizar as pessoas sobre a importância do tema, a participação a um tributo de 30 anos da banda Helloween e o processo de pré-produção e gravação do primeiro CD da Angels Holocaust.

Tratando da importância das Relações Públicas para sua banda e para as bandas em geral, ele explica:

Rodrigo Cafundó: Muitas bandas praticam algumas das funções estratégicas das RPs. mas, não sabem que as realizam. Algumas das funções são instintivas. A vontade em construir uma boa reputação e o trabalho intenso de imagem são bons exemplos disso.
Agora, seria muito interessante que as bandas “oficializassem” a participação efetiva de um profissional de Relações Públicas. Acredito, verdadeiramente, que todas as bandas ganhariam (e MUITO) com a chegada de um profissional deste gabarito.

E complementa: “Relacionamento é tudo! Ampliar as possibilidades de interação e colocar a banda mais próxima dos seus públicos de interesse é fundamental para o crescimento de uma banda (e qualquer organização” e frisa a necessidade de um profissional de RP para tanto.

Rodrigo ainda deixa aos leitores sua opinião sobre o mercado atual e futuro de RP no Brasil:

Rodrigo Cafundó: vejo a profissão em crescimento (não o ideal, mas muito mais animador do que na década passada, por exemplo) e fico muito feliz que o empresariado comece a perceber o quanto o profissional de Relações Públicas é vital para a tomada de decisão e, o mais importante, enxergue que somos agentes estratégicos.
Nossa capacidade analítica e de relacionamento, nos torna peças muito importantes (indispensáveis) na gestão de processos de pessoas. Vislumbro um crescimento ainda mais intenso nos próximos dez anos.

 Rodrigo Cafundó:  “jamais abandonarei as funções de um Relações Públicas”

O profissional demonstra que a combinação entre RP e Heavy Metal pode dar certo e também a relevância da profissão de Relações Públicas para a área musical através do seu trabalho apresentado. E por fim, deixa o recado: “Registro, a todos os Relações Públicas, o meu mais sincero desejo de muito trabalho, conquistas e grandes realizações. Que a busca da legitimidade seja verdadeiramente intensa, RPs”.


Sobre a banda:
Formada em 2009 pelo RP, a banda Angels Holocaust de Itapetininga, São Paulo, já lançou três EPs que estão no cenário Heavy Metal brasileiro e no momento trabalha para o lançamento de seu primeiro álbum denominado “Pátria” e que abordará a história do Brasil de forma crítica e muito intensa. Conheça melhor a banda através dos canais:
Facebook: www.facebook.com/ahmetalband
Twitter: www.twitter.com/ah_metalband
Youtube: www.youtube.com/angelsholocaustband

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s