003 – RP escreve a sua história com Fabiana Moreira

rp-facebookFabiana Moreira é relações-públicas, pós-graduada em Comunicação Empresarial e Institucional com especialização em Comunicação no Terceiro Setor e em Mídias Sociais e graduada em Comunicação Social, habilitação em Relações Públicas. Atuou profissionalmente em diversos segmentos, com destaque para a implementação da área de Comunicação da Junior Achievement São Paulo – JASP, a qual gerenciou por 5 anos.

É consultora e palestrante em Comunicação no Terceiro Setor, Mídias Sociais e Empreendedorismo, desde 2005. Jurada do prêmio ABRP. Atualmente é diretora da “SitePark Estacionamentos”, representante em SP da Junior Achievement Brasil, ministra treinamentos para a direção de empresas como Mastercard, Suzano Papel e Celulose, GE, AT&T, Caterpillar, HSBC, Citibank dentre outras. Ela é docente de pós-graduação e cursos de extensão, e, ainda dos cursos de Comunicação Institucional, Publicidade e Propaganda, Relações Públicas e Design Gráfico na UniSant’Anna.

VRP: Por que escolheu estudar Relações Públicas?

Na verdade, quando iniciei o curso ainda estava em dúvida em fazer Publicidade e Propaganda ou Jornalismo… Depois do primeiro ano de faculdade tive certeza de que era esse o curso mesmo!

VRP: Como enxerga o cenário brasileiro das relações públicas?

Vejo que é uma profissão em constante expansão e com muitas oportunidades em diversas áreas.

VRP: Qual ou quais as pessoas que te inspira a ser Relações Públicas? 

Fabiana Moreira

Viviane Mansi e Daniel Dubosselard Zimmermann, ambos foram meus professores na Cásper Líbero. A Viviane Mansi foi minha orientadora de Projeto Experimental e venho acompanhado seu trabalho e o conhecimento compartilhado por ela desde o final da gradução. Já o Daniel, foi meu professor, se tornou amigo, hoje é meu coordenador, pois dou aulas para os cursos de comunicação na UniSant’Anna, e vejo o quanto ele luta e estimula o progresso da profissão, luta pela difusão de conhecimento o mais atualizado possível para aplicação no mercado, nunca me deixou desistir e é um entusiasta nato da área!

VRP: Comemoramos em 2014 os 100 anos das Relações Públicas no Brasil, para você, a profissão é valorizada como deveria?

Infelizmente não é. Melhorou um pouco, mas falta muitoooo! Na área acadêmica existe um GAP em atualizar a academia em relação às práticas efetuadas no mercado. Já no mercado, existe uma enorme falta de conhecimento de quem contrata em saber exatamente qual profissional a organização está precisando. Acredito que nós RPs estamos precisando urgentemente de ações de Relações Públicas para nossa profissão. Promover a identidade e imagem da área, usar de ações e assessoria de imprensa, palestras junto à RHs para que isso seja sanado.

VRP: Sabemos que o eixo Sudeste ainda concentra a maioria dos profissionais de área, bem como a maioria das vagas de trabalho oferecidas. Qual seria a maior dificuldade, em sua opinião, para a expansão nacional da área e das oportunidades de emprego? 

Justamente a oferta de empregos e oferta de cursos. Como a concentração de organizações está aqui, logo a concentração de demanda também fica retida aqui.

VRP: As Relações Públicas completam 100 anos no Brasil. O que você vê como a maior contribuição da profissão para o país, durante todo este período? 

Sem entrar em méritos políticos, pois não quero expressar minhas preferências partidárias e minhas reprovações…  Mas se observarmos apenas a atuação dos RPs na área governamental, pudemos perceber como a imagem do país melhorou perante o mundo, com aumento de investimentos, como ter trazido a Copa e Olimpíadas para cá, e maior representatividade efetiva lá fora. Sem falar o quanto o brasileiro percebeu, de uns poucos anos prá cá, como a imagem de uma organização, ou a sua própria imagem, passa a ser extremamente importante para mensurar o valor que se tem perante o meio.

VRP: Falando em história, conte mais sobre a sua história com a profissão. Por quê escolheu RP?

Descobri Relações Públicas fazendo o curso. Fiquei apaixonada, encantada, meus familiares e amigos dizem que não havia profissão mais perfeita para mim rsrsrs (prestei vestibular para medicina e fiquei na lista de espera…) rsrs No segundo ano fui indicada pelo coordenador do meu curso para estagiar em uma agência de eventos. Aprendi de perto como organizar eventos de pequenos e médios portes. Em seguida estagiei em uma empresa especializada em tradução publicitária para o mundo todo e lá pude implantar o que estava aprendendo na graduação uma vez que a empresa não tinha comunicação estruturada.

Depois fui contratada pela Junior Achievement São Paulo para implantar a área de Comunicação Social na ONG. Uma experiência impar, pois na minha época éramos formados para o mercado e não havia preparação para trabalhar com o terceiro setor. Gerenciei a área por cinco anos e desenvolvemos toda a área chegando a ter 2 RPs, 1 publicitário e 1 jornalista. Hoje sou sócia diretora e administro a Sitepark Estacionamentos, gestora de projetos e representante da JABR em SP, leciono para os cursos de comunicação da UniSant’Anna, e consultora de comunicação da Welsys Languages. Ter feito o curso de Relações Públicas me preparou para diversas competências além de comunicação, faria de novo e de novo!
 
VRP: Qual é a área de atuação das Relações Públicas que você vê como mais promissora em curto prazo? Por quê?

Acredito em 3 áreas com maior crescimento, auditoria de imagem junto a novas tecnologias de comunicação justamente pelo fato de o brasileiro ter descoberto estas ferramentas para se expressar e consequentemente levando uma marca do céu ao inferno e vice-versa em segundos. Promoção, manutenção e resgate de imagem de organizações pois estas estão percebendo cada vez mais que é impossível sobreviver no anonimato e sem gerenciamento da própria identidade, imagem e reputação. Gestão de crises, pois o RP está habilitado a ter uma visão holística tanto no planejamento preventivo quanto na atuação mediante a crise. E crises acontecem a todo instante. 😉

VRP: Agora, brincando de adivinhar o futuro, como você acredita que estará o panorama das Relações Públicas no seu segundo centenário brasileiro?

Acredito que o profissional de relações públicas será reconhecido e requisitado tão claramente quanto um jornalista é atualmente.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s