020 – RP escreve a sua história com Luana Bonfim

rp-facebookLuana Bonfim. Bacharel em Relações Públicas pela Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação (FAPCOM -SP), onde desenvolveu como trabalho de conclusão de curso um Planejamento Estratégico de Comunicação para rede varejista Lojasmel. Áreas de atuação: Eventos na empresa Fundação OSESP; Ouvidoria na Organização Social Santa Marcelina Cultura e por último, área de Comunicação Institucional da varejista Pernambucanas.

VPR: Por que escolheu estudar Relações Públicas?

LB: Prefiro dizer por que continuei a estudar Relações Públicas, digo isso, pois, na fase pré-vestibular o meu conhecimento sobre o curso era relativamente superficial. A disciplina me atraiu por sua relação com áreas administrativas e por suas múltiplas frentes de atuação . Após o ingresso na faculdade pude conhecer melhor a ciência, o mercado, os skills dos RPs na ativa e, também, o contato com professores engajados pela profissão contribuiram com o encantamento.

VPR: Como enxerga o cenário brasileiro das relações públicas?

LB: Enxergo de maneira positiva, principalmente, no relacionamento público x marca x sociedade. As cobranças político/legal e popular por transparência fiscal e responsabilidade socioambiental tem motivado as empresas a terem em sua estrutura organizacional áreas que façam essas interfaces.

VPR: Qual ou quais as pessoas que te inspira a ser Relações Públicas?luana

LB: Em minha recém iniciada vida de profissional de Relações Públicas, posso dizer que os professores foram os principais motivadores. Fez uma enorme diferença aprender com um professor que ama o que faz e tem prazer em transmitir isso aos outros.

VPR: Comemoramos em 2014 os 100 anos das Relações Públicas no Brasil, para você, a profissão é valorizada como deveria?

LB: A valorização massiva está longe da almejada. Acredito que quanto mais o “saber fazer e o fazer saber” for praticado, mas conhecidos e valorizados seremos.

VPR: Sabemos que o eixo Sudeste ainda concentra a maioria dos profissionais de área, bem como a maioria das vagas de trabalho oferecidas. Qual seria a maior dificuldade, em sua opinião, para a expansão nacional da área e das oportunidades de emprego?

LB: Posso dizer que não estamos sozinhos , vários setores também possuem maior oferta de trabalho na região Sudeste. É uma questão ligada ao fraco desenvolvimento social das demais regiões, o sudeste concentra o mais da metade do PIB . No que se refere à profissão de Relações Públicas, temos também outro fator que mina o crescimento da profissão, o fechamento ou inexistência do curso nas universidades destes locais.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s