096 – RP escreve a sua história com Lais Rodrigues

rp-facebookLais Rodrigues, virginiana metódica, porém legal, já passou dos 18 anos e agora concorda com “depois dos 18, a vida corre”, recém formada em Relações Públicas na FAPCOM. Ela acha que a vida é como o jogo The Sims (só que sem o botão de pausa) e já tem algumas skills em Eventos, Assessoria de Imprensa, Comunicação Interna, Planejamento e Social Media (aliás, adora mídias sociais e tudo o que envolve o ambiente digital, também ministrou algumas aulas sobre monitoramento em redes sociais), Marketing e Comunicação Interna.

Gosta de escrever em seu blog quando tem muita coisa na cabeça, ler, tocar violão, viajar e estar em uma boa roda de amigos. É apaixonada pela profissão e a capacidade de propor novas soluções para diferentes tipos de conflitos. Não escolheu RP, mas, como ela mesma diz, RP a escolheu.

VRP: Por que escolheu estudar Relações Públicas?

LR: Eu sempre brinco que quem me escolheu, na verdade, foram as RP. Eu não sabia exatamente o que era a profissão, apenas queria dar continuidade ao curso técnico de administração que eu havia concluído no último semestre de 2010. Quando vi o que era RP, pensei “ACHEI! É um pouco parecido com adm, mas diferente”. Para minha surpresa, foi MUITO melhor do que eu imaginei e sou completamente apaixonada pela profissão!

VRP: Como enxerga o cenário brasileiro das relações públicas?

LR: Eu vejo um cenário bastante positivo, com profissionais ousados, criativos e que “dão a cara pra bater”; as novas possibilidades com o ambiente digital, mostrando nossa habilidade de adaptação e dinamismo; o reconhecimento do próprio mercado, em geral; sem contar os colegas de profissão que estão há mais tempo no mercado, com bagagens muito importantes para o amadurecimento da área.IMG_31864614257865

VRP: Qual ou quais as pessoas que te inspiram a ser Relações Públicas?

LR: A primeira pessoa que conheci da área e logo me apaixonou foi a professora Denise de Aquino e eu só conseguia pensar *quero ser que nem ela!* (risos), depois veio os professores Paulo Regis Salgado, Fábio Alessandro e Glaucya Tavares; Serge Giacomo, Flávio Schmidt, Fábio França e até mesmo os amigos que fiz durante a graduação.

VRP: Sabemos que o eixo Sudeste ainda concentra a maioria dos profissionais de área, bem como a maioria das vagas de trabalho oferecidas. Qual seria a maior dificuldade, em sua opinião, para a expansão nacional da área e das oportunidades de emprego? 

LR: Eu penso que seria importante nós, Relações Públicas, investíssemos cada vez mais na propagação da profissão para que empresas em todo o país percebam que “Todo mundo precisa de um RP”. Em contrapartida, campanhas por parte das empresas para atrair RP para os demais estados.

VRP: Conte mais sobre a sua história com a profissão. Como iniciou sua atuação? O que tem feito? Qual seu projeto de maior orgulho na área?

LR: Ingressei na área no segundo ano da faculdade, em uma agência de comunicação, como analista de métricas em redes sociais. Depois fiquei dois anos em eventos e assessoria de imprensa no setor de arquitetura e decoração e, atualmente, trabalho com Marketing na FAPCOM. Em todas as experiências, ainda que não levem o nome de RP, percebo como podemos ser dinâmicos e estabelecer relacionamentos estáveis entre os públicos, fazendo uso de todas as ferramentas disponíveis – infelizmente, não são todos que veem a importância de ser transparente mesmo em momentos de crise e o COMO responder.

VRP: Qual é a área de atuação das Relações Públicas que você vê como mais promissora em curto prazo? Por quê? 

LR: No geral, vejo todas as áreas como promissoras. Enquanto houver públicos, mensagem e necessidade de relacionamento, haverá espaço para as Relações Públicas.

VRP: Qual sua opinião sobre o projeto de flexibilização da profissão?

LR: Sou contra. Serei breve. Desde adolescente, achava o máximo ver CREMESP, CRC e tantos outros registros. E fiquei mais entusiasmada ainda quando descobri que também existia um conselho para RP. Vejo como uma espécie de “carimbo” em que outras pessoas reconhecem como uma profissão séria como tantas outras, além das atividades já realizadas. Para ter o registro, acho importante que a graduação seja cursada.

VRP: RP e empreendedorismo combinam?

LR: Sem dúvida alguma. Prova disso são os blogs (incluindo o VersátilRP <3, Fantástico Mundo de RP) que disseminam e propagam nossas atividades ou movimentos como da Todo Mundo Precisa de um RP, Fala Mais, RP! E tantos outros. Abordagens diferentes e criativas em prol da profissão e dos públicos, eu diria.

VRP: Há quanto tempo faz parte do projeto do blog Versátil RP? Quais foram suas experiência mais significantes? 

LR: Eu já havia sugerido pautas para o Blog antes mesmo de ingressar na equipe, pois tenho vontade de seguir carreira acadêmica. Mas, como OFFICIAL MEMBER OF THE TEAM apenas em abril desse ano.

O que mais me marcou positivamente foi o convite em participar da equipe, após envio de textos. Fiquei muito grata e contente! Sem contar que a galera é toda maravilhosa, divertida e parceira. É bom estar com pessoas que nos fazem bem.

VRP: Como vê o forte movimento de blogs/páginas/grupos sobre a temática Relações Públicas no país? Quais os benefícios podem surgir daí?

LR: Como nas questões anteriores, eu vejo abordagens diferentes e criativas em prol da profissão e dos públicos. São contribuições que nos dão voz, pois são Relações Públicas falando sobre Relações Públicas para outros RP e a todos que possam se interessar. São maneiras alternativas de fonte de conhecimento e a própria habilidade dinâmica de demonstrar e propor soluções para problemas de comunicação e relacionamento.

VRP: Qual publicação de sua autoria é sua preferida? Por que?

LR: Eu tenho um carinho por cada uma (risos), porque representam fases e conquistas pessoais. Mas, gostei muito de escrever Como projetizar seu plano de comunicação, pois era a minha visão (de um modo meio divertido) sobre um tema importante.

VRP: Agora, brincando de adivinhar o futuro, como você acredita que estará o panorama das Relações Públicas no seu segundo centenário brasileiro?

LR: Nós vamos dominar o mundo, baby! MUAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

VRP: Qual mensagem gostaria de deixar para os estudantes e recém formados? 

RP: Bom, como recém formada (e apaixonada), eu digo: continuem! Não desistam dos seus objetivos e deem o seu melhor em tudo que fizerem. Haverá momentos em que as coisas não serão flores, mas isso molda nosso caráter e nos traz experiências. #GODOMINAROMUNDOCONOSCO!

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s