E o VRP “viaja” para o 6º Congresso de Comunicação Empresarial Aberje Minas Gerais: 4 paineis, 7 palestrantes, 4 mediadores e muita troca de informação sobre Comunicação

Foto: Emiliana Pomarico/Aberje

Foto: Emiliana Pomarico/Aberje

Correspondente VRP – Paola Danyelle

O 6º Congresso de Comunicação Empresarial da Aberje Minas Gerais, realizado na sexta-feira de 13 de novembro, abordou o tema ‘Como a indústria e a carreira de comunicação estão mudando: ameaças e oportunidades’. Foram realizados 4 painéis, sendo 7 palestrantes e 4 mediadores que se revezaram em diversos temas, desde o storytelling nas empresas até cases de assessoria de imprensa de algumas empresas.

O dia começou com a palestra de Rodrigo Cogo, responsável pela área de inteligência de mercado da Aberje, que fez uma abordagem sobre o cenário da comunicação atual, falando sobre as influências multilaterais devido as redes sociais e as novas redes humanas dentro das organizações, onde o fluxo de informação não segue o organograma. Falou ainda sobre a guerra das narrativas neste cenário: “Eu (consumidor) vou ouvir quem?”. Para finalizar sua explanação, o palestrante trouxe um vídeo-case da Samsung em que a proposta era contar histórias reais. Veja o vídeo aqui:

O segundo painel abordou a comunicação tangível por meio das narrativas e foi apresentado pela palestrante Karen Batista, coordenadora e professora da UNA. Ela enfatizou que, na atualidade, existem muitos dados que mostram o comportamento do consumidor, sendo assim, as ações devem ser direcionadas para os públicos de maneira a encantar o cliente para que ele não só deseje adquirir o produto, mas também queira levar sua experiência para outras pessoas. Ela finalizou sua fala mostrando um case da Heineken sobre o processo de contratação de um estagiário, mostrando a importância da gestão de relacionamento dentro das empresas. Veja o case:

Complementando o painel, Erika Pessoa, da empresa Pessoa Comunicação e Relacionamento, iniciou sua explanação com a frase: “Ser tecnológico, usar ferramentas, mas sem deixar de ser simples”, complementando o que foi dito por Karen sobre as informações e dados disponíveis, mas exaltando a importância de manter a simplicidade e de focar nas pessoas, pois, segundo ela, “quando se entende a essência das pessoas, entende-se a essência da comunicação”.

O terceiro painel falou sobre assessoria de imprensa e o seu futuro. O palestrante Manoel Fernandes, da empresa Bites, trouxe insights sobre o uso da tecnologia para monitorar notícias e identificar crises e assim traçar planos de ação. Mostrou diversas informações sobre ferramentas e dados que são possíveis obter com elas, como, por exemplo, o uso de softwares que permitem o envio de release em massa para diversos stakeholders.

12291723_940822452649937_7877286930225112183_o

Foto: Emiliana Pomarico/Aberje

Em um segundo momento, Valdeci Verdelho, consultor da Verdelho Associados, falou sobre a diferença entre as assessorias que apenas vendem release e prometem colocar o cliente em todos os veículos e aquelas que são profissionais e realmente entregam a solução que o cliente precisa. Segundo ele, o perfil de um assessor de imprensa deve ser “visão de jornalista, cabeça de CEO”.  O palestrante explanou ainda sobre o perfil das publicações e a redução de meios impressos que, consequentemente, minimiza a opção de mídia para anunciantes. Para finalizar seu discurso, Verdelho falou sobre a importância de administrar egos dentro da profissão e que é preciso ter capacidade analítica para enxergar o impacto das ações desenvolvidas pelo assessor de imprensa.

Encerrando o evento, o quarto painel iniciou com a fala Suzana Fagundes, da empresa Arcelormittal. Sua palestra foi baseada no modelo implantado na empresa, em que leva em consideração dois pilares: a reputação e a sustentabilidade. Ela contou o case, sobre como foi desenvolvido o planejamento para integrar essas duas áreas, e disse que um dos desafios para a integração entre as áreas de sustentabilidade e de reputação é a falta de conhecimento, capacitação e engajamento interno.

Finalizando o dia, a última palestra ficou a cargo de Jorge Görgen, Gerente de Relações com a Imprensa da CNH Industrial América Latina. Görgen contou sobre o desenvolvimento do prêmio New Holland de Fotojornalismo, premiação desenvolvida com um projeto cultural com a proposta de premiar fotos que melhor retratem a agropecuária, o trabalho e a produção no campo. Este projeto resultou em um ganho de mídia espontânea para a empresa New Holland, parte do grupo CNH Industrial, que fabrica máquinas agrícolas. Com o projeto, o palestrante mostrou que uma iniciativa cultural pode gerar reflexos positivos na reputação da marca, colocando em exposição e evidência inclusive em veículos internacionais.

12314153_940823185983197_7123315498435742789_o

Foto: Emiliana Pomarico/Aberje

Assim, o 6º Congresso de Comunicação Empresarial Aberje Minas Gerais chegou ao fim. Foram 4 painéis, 7 palestrantes e 4 mediadores que, durante todo o dia, se revezaram mostrando propostas de como a indústria e a carreira de comunicação estão mudando, trazendo cases e informações importantes sobre como lidar com as ameaças e aproveitar as oportunidades desse cenário.

Veja todas fotos do evento na página da Aberje aqui.


Paola Danyelle é sócia diretora da agência Inspire e colunista do blog RP e PP.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s