Confira tudo que rolou no 16º Mix Aberje – o evento mais tradicional em comunicação interna e integrada do Brasil!

Na última semana (27 e 28 de abril), o Versátil RP esteve presente na cobertura de mais um importante evento da área – o 16º Mix de Comunicação Interna e Integrada, realizado pela ABERJE – Associação Brasileira de Comunicação Empresarial, sendo representado pelas colaboradoras Bruna Ribeiro e Roberta Beatriz Attene. No post, compartilhamos com vocês tudo que rolou neste grande encontro, que reuniu estudantes, profissionais e acadêmicos das áreas de comunicação.

O Mix Aberje é um dos eventos mais tradicionais do Brasil, que ocorre anualmente. Já contou com mais de 2000 participantes que compartilharam experiências, desafios, tendências, ações e conceitos referente às relações humanas no mundo corporativo.

A 16ª edição teve como tema “Dialogar para Liderar” e, pode-se resumir os momentos compartilhados nos dois dias de evento em duas questões: 1. conceito de diálogo e 2. vivência do processo de diálogoMais interessante do que querer introduzir o conceito de diálogo no dia a dia é entendê-lo e, para isso, é necessário que tenha vivenciado este processo. É com o conhecimento teórico e a prática que será possível enxergar sua importância e compartilhá-la nos ambientes internos da organização. O evento ocorreu exatamente na dinâmica entre conceitos e práticas, distribuídos por meio de palestras, apresentação de cases de sucesso em estratégia de comunicação interna, bem como atividades de interação com o público participante.

PALESTRAS

“Dialogar para Liderar”

A palestra de abertura no dia 27, que faz referência direta ao tema do evento, foi conduzida por Mário Lucio Machado, da Wisnet Consulting, e Maria Cristina D’Alice, da Quartet Lab, e impactou de início os participantes com questionamentos, conceitos e posições que fizeram os envolvidos refletir sobre o processo de diálogo.

Foi destacado que não é fácil dialogar, é preciso exaurir de pré-conceitos e atentar-se ao outro. Como destacam, a base do diálogo é: confiança; escuta verdadeira; é falar PARA o outro e não COM o outro; estar inteiro no presente. Para eles, discordar é sinônimo de não compreensão, só discorda quem não entende. É preciso investir em escuta e perguntas para compreender.

13076530_1024980710900777_9024388925474312368_n

Mário Lúcio Machado e Maria Cristina D’Alice | Foto: Aberje

 “Diálogo é uma demanda imensa de transformação de negócios. Não é uma tarefa fácil para a raça humana”. Maria Cristina D’Alice, Quartet Lab

“Comunicação real em tempos virtuais”

Beatriz Filgueiras, psicóloga especialista em comunicação, falou sobre a postura da comunicação em meio aos mecanismos virtuais que se transformam diariamente e com muita rapidez. Para ela, há uma questão muito forte a se discutir sobre o que é real x virtual, representados num espaço simbólico, este insere o público interno num cenário de: contextos, crises, massificação, sentido e propósito de vida.

A comunicação das empresas devem ter como premissas: o diálogo, empatia, fazer-se presente, adequar a linguagem, de modo a estimular o público a refletir sobre o impacto do mundo virtual, passando por um processo de transformação e estímulo às suas narrativas. A história da empresa contada a partir de várias histórias particulares.

“Como dar feedbacks positivos e negativos e o poder da escuta ativa para o engajamento”

A mesa redonda contou com a participação do diretor e consultor em desenvolvimento humano, Luiz Eduardo Neves Loureiro da 4winners e; dos Cofundadores da Agência Santo Caos, Jean Soldatelli, Guilherme Françolin e Daniel Santa Cruz. A apresentação destacou o ponto importante quanto aos feedbacks dados pelos líderes aos seus colaboradores. Para eles, a postura de feedback exige um processo anterior de escuta ativa, o que gera envolvimento, interação e compreensão de ambas as partes. Segundo eles, o feedback deve fazer sentido para quem recebe. A real intenção deve ser desenvolver o colaborador.

“Não dá para fazer Comunicação Interna sem dar valor às pessoas”.  Luiz Eduardo Loureiro, 4winners

CASES DE COMUNICAÇÃO INTERNA

“A diversidade e suas potencialidades”

Foram apresentados dois cases sobre diversidade, com: 1. Mário Costa Valle, do Senac – sobre o “Prêmio trabalhadores com deficiência, programa de inclusão do Senac São Paulo” e; 2. Adriana Ferreira, IBM – “Diversidade & Inclusão como estratégia de negócios: como relacionar RH aos objetivos organizacionais e aumentar o engajamento de seus funcionários”.

Ambas apresentações trouxeram contribuições interessantes sobre o papel da organização em compreender a realidade de vida daqueles que escrevem a história junto com ela. Não se trata simplesmente de contratar profissionais específicos por conta de obrigatoriedade, mas sim de uma transformação verdadeira na cultura organizacionalA diversidade constrói positivamente o convívio interno. De acordo com os palestrantes, a tendência das organizações é a atenção com a: acessibilidade, cultura, inclusão, diversidade, gestão de pessoas e protagonismo. 

“O externo pode dizer muito sobre o que parecemos, mas não o que realmente somos” Adriana Ferreira, IBM

“Cases que transformam histórias”

Ao todo foram 7 cases de comunicação interna apresentados. No primeiro dia de evento ocorreram: 1. “Colaborador faz e é notícia” dirigido por Cíntia Bechiolli, da Printer Press Comunicação Corporativa com o case do Banco Toyota; 2. “Comunicação e relacionamento com o público interno” com Thiago Procópio, da Net Claro Embratel; 3. “Schneider Electric protagoniza debate sobre eficiência energética em ação de comunicação integrada”, com Rodolpho Fidalgo, da Schneider Electric.

Cíntia indicou o vídeo “O Cometa Halley e as pérolas da comunicação” que exprime exatamente como é o processo de rádio peão e os cuidados para gerir a comunicação interna, citando algumas estratégias utilizadas no Banco Toyota.

Na sequência, Thiago apresentou estratégias inovadoras em comunicação interna aplicada à Net Claro Embratel. O planejamento estratégico teve como premissa: interatividade, inovação, curadoria, leveza, gameficação (gamification) e narrativa, de modo a traduzir a linguagem da organização para a realidade de vida do colaborador. Para tanto, foram criados games internos com premiações, personagens e episódios, ou seja, o funcionário participava de um mundo de filme e protagonismo.

13133117_1024986824233499_1498394771748009923_n

Thiago Procópio | Foto: Aberje

“Quando se faz uma comunicação de coração para coração, reverbera muito mais” Thiago Procópio, Net Claro Embratel

Rodolpho Fidalgo compartilhou com os participantes sua experiência como Gerente Sênior de Marketing da Schneider Electric, no qual expôs estratégias de gestão com o público interno, conduzido por um processo de comunicação integrada a diversas áreas em um segmento de empresas com perfil mais fechado, focando o papel do profissional em saber lidar com barreiras, tradições e, ao mesmo tempo, contribuir com inovações e material de apoio.

O segundo dia contou com a apresentação de quatro cases: 4. “Make history polo automotivo Jipe”, com Eliza Alves da Fiat Chrysler Automobiles (FCA); 5. “Rede Única – a comunicação com o jeito do Sicredi”, Fernanda Foscarini, Sicredi; 6. “Por uma comunicação interna mais enxuta e colaborativa – como a formação de uma rede colaborativa pode contribuir para a comunicação interna organizacional”, com Bruna Ribeiro, Instituto Solvi e; 7. “Ingredientes usados nas primeiras etapas de uma mudança cultural: humanização, criatividade e energia”, com Paula Hermont, VLI Logística.

Eliza compartilhou sua experiência de gestão de pessoas na implantação da nova fábrica da Fiat em Pernambuco, no qual foi preciso um estudo minucioso sobre o local, o tipo de colaborador ali representado e a definição de estratégias que trouxeram protagonismo, interação e reconhecimento junto ao público interno que se constituía na região. Ela destaca: “Não apenas entender a cultura local, a comunicação interna precisa ABRAÇAR a cultura local”, Eliza Alves – Fiat. Foi com a premissa de acolhimento, de se sentir parte e envolvido, que o planejamento de comunicação interna alcançou o objetivo de construção de vínculos.

“Eu não acredito no processo de fazer a mesma comunicação para todos. Direcionar demanda muito mais, mas vale” Eliza Alves, Fiat

Fernanda apresentou a abordagem estratégica utilizada pelo Sicredi para viabilizar uma comunicação interna colaborativa que atendesse as regionalizações que por ora começam a se formar a partir da expansão territorial da instituição. Uma empresa do Sul que precisou adequar sua linguagem, conteúdo e estrutura de canais internos para atender os colaboradores nacionais. Para tanto, a partir de pesquisas foi possível desenhar apenas 1 canal de comunicação online, com interação via aplicativo, que permite concentrar as comunicações da empresa em um só local e valoriza a atuação colaborativa do público interno. “Nosso objetivo: tornar o endomarketing uma disciplina, um processo. Construir um canal de comunicação que oportuniza a colaboração para poder acolher e representar as realidades individuais das filiais” Fernanda Foscarini, Sicredi

Bruna Ribeiro, Analista de Responsabilidade Social Corporativa do Instituto Solví e colaboradora do Versátil RP, compartilhou sua experiência em comunicação interna colaborativa no Instituto, que alcançou resultados satisfatórios, gerando engajamento, aprendizado, valorização dos departamentos e interação. No ano de 2013, o blog VRP publicou seu texto sobre o case em questão, que poderá ser lido acessando aqui.

De acordo com Bruna, o projeto teve como problemática a seguinte questão: “Como assegurar que os colaboradores acessem a comunicação, que tragam feedbacks e sejam produtores de conteúdo?”, Bruna Ribeiro, Solví. Como resposta, foi criado um plano estratégico personalizado a realidade da empresa. A gestão dos processos de comunicação interna estabeleceram-se por meio de Agentes de Comunicação Interna, no qual foram selecionados colaboradores-chaves em cada unidade/departamento da empresa, que contaram com recursos e formações necessárias para executar o trabalho.

13124850_1024989514233230_314320568798934971_n

Bruna Ribeiro e Paula Hermont | Foto: Aberje

“Credibilidade, relevância, agilidade e clareza. Cuidados que o colaborador multiplicador deve ter” Bruna Ribeiro, Instituto Solví e Blog Versátil RP

Para finalizar a série de cases de sucesso, Paula Hermont compartilhou com os participantes sua experiência em comunicação interna da VLI Logística, no qual propôs a importância das relações e a estratégia definida pela organização para assegurar confiabilidade, interação e engajamento num processo com públicos diversos.

ATIVIDADES

Laboratórios de Comunicação

Um ponto que muito se destacou em ambos os dias foi a realização prática dos conceitos aprendidos sobre diálogos durante o evento, de modo interativo e dinâmico. Foram realizados dois laboratórios de comunicação conduzidos pelos  psicodramatistas Gabriela Treteski e Markus Lothar Fourier, abordando as temáticas: 1. Comunicação em tempo de excesso de informações e; 2. Comunicação e prontidão para mudança.

As atividades foram aplicadas com base na metodologia Art of Hosting, proposta mundialmente conhecida que tem como indicação anfitriar conversas significativas, explorando um cenário fortemente representado pelo excesso de informação e pouca comunicação. Segundo eles, o processo de diálogo exige prontidão para mudança, flexibilidade e assertividade, sendo estes aspectos alcançados com treinos.

“Como o excesso de informação influencia a minha vida pessoal e profissional?” Gabriela Treteski e Markus Lothar Fourier, Improvida

Vivemos num mundo cada vez mais Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo, tema que os palestrantes conceituam como VUCA. Neste contexto, os líderes precisam ter uma postura de confiança na relação com os colaboradores, estabelecendo um vínculo positivo, de modo que faça com que todos estejam bem e seguros quanto aos trajetos a serem seguidos individualmente contribuindo com o processo geral.

Lançamento da Revista Reputação

Tatiana Maia Lins, Consultora em Reputação Corporativa, Diretora da Makemake Comunicação e editora da Revista da Reputação, aproveitou o especial momento do evento e fez o lançamento oficial da “Revista Reputação, que apresenta conteúdos especializados em como gerir a reputação das organizações, quais as práticas de mercado e o cenário brasileiro. Um espaço de debate sobre o que existe e onde deseja-se alcançar

Deu para perceber que as novidades são muitas e o evento bem intenso. A partir dessa gama de interações com conceitos, tendências, aplicações práticas e cases de sucesso foi possível analisar a importância das relações de liderança e da construção de diálogos constantes, que produzam nos colaboradores inspiração, engajamento e transformação.

E, NÃO ACABAMOS POR AQUI!

Nos próximos meses, o Versátil RP terá o prazer de contar com entrevistas de alguns dos palestrantes do 16º Mix Aberje, que compartilharão seus cases, experiências e desafios na área. O primeiro deles será este mês (Maio), no Intercambio VRP! Aguardem!

Acesse as fotos do evento por aqui

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s