A importância das Relações Públicas nos processos de Fusão

APRESENTAÇÃO

O projeto “Fusões e aquisições – um estudo sob a perspectiva das Relações Públicas foi desenvolvido pelas profissionais de Relações Públicas: Caroline Braido de Rossi, Bruna Batista e Maria Laura Rufatto sob orientação da Prof. Dra. Sônia Aparecida Cabestré como projeto de graduação para a Universidade Sagrado Coração (USC) de Bauru/SP e apresentado na Divisão Temática (DT) em Relações Públicas e Comunicação Organizacional do XXXIX Congresso Intercom – Regional Sudeste 2016, que ocorreu ente os dias 17 a 19 de Junho de 2016 no Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (CEUNSP).

Diante da relevância do tema, a colaboradora do Versátil RP, Roberta Attene, convidou a equipe para compartilhar os resultados do projeto que pautou-se em pesquisa de campo com empresas que passaram por processos de fusão nos últimos anos. Na oportunidade, o estudo identificou o perfil de profissional que participa ativamente em processos de fusão; as ações necessárias para que este ocorra da melhor forma e a importância do profissional de comunicação e relações públicas.

A importância das Relações Públicas nos processos de fusão

Caroline Braido de Rossi, Bruna Batista e Mariana Laura Rufato

As transformações resultantes da globalização, do avanço tecnológico, comunicacional e econômico geram a necessidade de conquistar novos mercados, ampliar a renda financeira e aumentar a demanda de produtos e serviços oferecidos por uma empresa, resultando assim, no aumento do número de fusões e aquisições. Neste cenário, os processos de fusão, a união de duas ou mais empresas se tornando apenas uma, é uma possibilidade para que as organizações envolvidas possam estar à frente em seu mercado de atuação.

Mas, para que este processo se torne positivo para as empresas envolvidas, existem diversos aspectos que devem ser levados em consideração para que esta mudança não tenha consequências negativas, como o choque de culturas, a queda de produtividade e a perda de clientes.

Assim, mais do que aspectos administrativos, econômicos e geográficos, os processos de fusão devem sempre ser avaliados sob o ponto de vista da comunicação e do relacionamento entre a empresa e seus públicos, pois as opiniões, necessidades, expectativas e anseios daqueles que são a base das organizações devem ser analisados pela alta gerência para que essa nova fase não seja marcada por frustrações, falta de rendimento, medo e insegurança, proporcionando à organização resultados negativos.

“O objetivo da comunicação estratégica para as organizações, principalmente as que passaram por um processo de mudança, está em desenvolver dentro da empresa um relacionamento sólido com seus diversos públicos de modo a promover oportunidades de encontro, diálogos e negociação entre os atores sociais.” Bruna Batista

O sucesso de uma organização que passa por um processo de fusão está em aliar a comunicação e seu relacionamento com os objetivos a serem alcançados. Para que isto ocorra, uma nova identidade para a empresa deve ser criada respeitando a cultura e o pensamento que havia entre a organização adquirida e a adquirente, antes do processo de fusão ser efetivado, além de criar um planejamento estratégico para a integração entre os colaboradores e a administração.

Ao longo de nosso trabalho na Graduação procuramos destacar que diante de um processo de fusão o profissional de relações públicas é fundamental para construir, junto com os colaboradores, uma nova identidade que represente o momento vivenciado pela organização. O profissional também é capaz de gerenciar e direcionar as informações para que os interesses da empresa entrem em harmonia com os dos seus públicos de interesse.

“A atividade de Relações Públicas é fundamental para toda e qualquer organização, especialmente as que se transformaram através do processo de fusão”.  Caroline Rossi

O profissional de Relações Públicas também é capacitado para amenizar situações de conflitos, gerenciar crises e pode participar de negociações ao elaborar estratégias de comunicação e desenvolver ações eficazes para contornar os problemas que normalmente ocorrem entre a organização e seus públicos.  É capacitado para desenvolver ações que proporcionem um ambiente de trabalho mais rentável e saudável para todos os envolvidos e, ao estabelecer uma relação de confiança com os funcionários, o profissional é capaz de entender suas necessidades, medos e expectativas relacionados ao processo de fusão ou aquisição.

Assim, cabe ao profissional de Relações Públicas ampliar os canais oficiais de comunicação para que haja uma troca de informação direta, clara e eficaz para diminuir possíveis especulações e mensagens incompletas. Existe, também, a possibilidade de desenvolver programas de motivação que visem à integração da nova equipe. Para isso, é necessário planejar e conhecer o público, bem como elaborar mensagens específicas para manter a administração da organização ciente de todo o processo.

A atividade de Relações Públicas é fundamental para toda e qualquer organização, especialmente as que se transformaram através do processo de fusão.  O objetivo da comunicação estratégica para as organizações, principalmente as que passaram por um processo de mudança, está em desenvolver dentro da empresa um relacionamento sólido com seus diversos públicos de modo a promover oportunidades de encontro, diálogos e negociação entre os atores sociais.

Fortalecer a comunicação estratégica significa ajustar dentro da organização suas atividades, de modo a acelerar o processo e centralizar todas as áreas da empresa para um objetivo comum. No processo de fusão, a comunicação estratégica é uma ferramenta que implica em uma complexa transformação da cultura organizacional que vai, aos poucos, modificando a postura e os valores de uma organização frente a seus públicos. Qualquer processo de fusão deve ser acompanhado por uma estratégia de mudança de maneira programada.

A comunicação é uma ferramenta essencial para contribuir no processo de junção de culturas, a aculturação. A informação é o caminho principal para a integração e a construção de uma nova cultura. A partir dela é possível minimizar as especulações e boatos que podem gerar medo e a resistência à mudança. Cabe ao profissional de Relações Públicas ter a sensibilidade necessária para estabelecer relacionamentos internos e externos que atendam aos interesses e necessidades da organização que se formou.

“A comunicação é uma ferramenta essencial para contribuir no processo de junção de culturas, a aculturação.” Maria Laura Ruffato

Entendemos assim, que a Relações Públicas é capaz de gerenciar os relacionamentos das organizações com os seus públicos de interesse, mantendo a imagem da empresa sempre positiva. Importante destacar também a eficácia da comunicação clara, objetiva e transparente a fim de manter os públicos de interesse da organização informados sobre tudo o que acontece dentro da empresa.

Assim, cabe ao profissional de Relações Públicas gerenciar o processo comunicativo e o relacionamento das organizações com seus funcionários e público estratégico nos processos de fusão e aquisição de empresas e, também, administrar qualquer conflito que possa prejudicar os interesses da organização, seja interna ou externamente. É imprescindível ter um planejamento de inter-relacionamento que envolva os objetivos a serem atingidos e a estratégia a ser colocada em prática.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s