Por que a nova era da comunicação é a era das relações públicas?

Por Tânia d’Ávila

Há alguns anos, um planejamento de comunicação consistia em abranger mídias de massa – ou seja, televisão, jornal, revista e rádio. Em grande parte, a estratégia se baseava em como otimizar o budget do cliente, considerando, na TV e rádio, as variedades entre canais/estações e horários de maior impacto para a marca; e, em revistas e jornais, os veículos que atingiam os públicos pretendidos, levando em conta idade, sexo, renda etc.

Hoje, já percebemos uma mudança significativa na maneira de se comunicar, o que impacta diretamente no plano de comunicação de uma marca. E a internet, assim como as redes sociais, foram as grandes impulsionadoras para que isso acontecesse.

Embora a profissão de relações públicas ainda não seja compreendida por uma parte considerável do mercado, é inegável que a mudança na maneira de se comunicar abriu um significativo espaço para o trabalho de RP. E, abaixo, há alguns pontos principais que explicam esse fato:

  1. Estratégia segmentada: se antes bastava pensar nos veículos de massa, hoje temos uma infinidade de canais segmentados para levar em consideração. Para trabalhar a presença digital é de extrema importância conhecer as redes sociais disponíveis, incluindo as de nicho, que podem ser relevantes para o segmento da marca. As estratégias de presença em cada uma dessas redes sociais podem variar, sendo necessário, também, identificar em quais canais digitais é válido investir em anúncios. Mas o que tudo isso tem a ver com relações públicas? Será que um profissional de marketing digital não seria mais indicado para colocar esse trabalho em prática? E é aí que está: o relações-públicas é o profissional mais capacitado para trabalhar com marketing digital simplesmente porque está em nossa essência entender as particularidades dos perfis dos públicos da marca, conseguindo identificar os melhores canais para impactá-los.
  2. Comunicação direcionada: mas de nada adianta estar presente nos canais certos se não houver um trabalho direcionado de comunicação. E uma das principais diferenças entre publicidade e relações públicas é justamente essa: publicidade foca na comunicação de massa, enquanto relações públicas tem como foco a comunicação segmentada, ou seja, RP objetiva entregar mensagens direcionadas por meio de ações específicas para públicos específicos. E a comunicação na internet permite que, com os diversos filtros disponíveis, seja possível entregar a mensagem certa diretamente para o público de interesse da marca.
  3. Relacionamento com clientes: não foi só na maneira das marcas se comunicarem que a internet impactou. Se antes as marcas falavam e os consumidores ouviam, com a tecnologia esses mesmos consumidores ganharam voz e a comunicação passou a ser uma via de mão dupla ou, melhor dizendo, um diálogo. As marcas falam. Os consumidores, também. E a expressão do consumidor ganha poder, já que a sua opinião passa a ter uma repercussão inimaginável, impactando diretamente na imagem e reputação da marca. Como sobreviver a isso? Sabendo se relacionar com eles! E como as palavras “relações públicas” e “relacionamento” são praticamente sinônimas, cabe ao RP criar vínculos e manter um bom relacionamento com os clientes e consumidores da marca, filtrando e respondendo as reclamações, insatisfações e, também, os elogios. Mas não basta ser simpático: é preciso que a marca tenha ações e intenções reais para mudar o que não está agradando.
  4. Comunicação orientada por informação: a internet fez com que um ponto muito relevante começasse a ser trabalhado: a comunicação orientada por informação, o que significa que, entre tantos concorrentes oferecendo a mesma coisa, se sobressai aquela marca que é capaz de se relacionar com seus públicos por meio de informações consistentes, gerando credibilidade. E isso tem tudo a ver com o item anterior: para criar vínculos e manter um bom relacionamento é necessário que a marca seja segura de si, sabendo exatamente quais são as suas condutas, valores e posicionamento, podendo informar todos à sua volta e agir de acordo com o que fala e com quem é. E “informação” é uma das principais ferramentas de um profissional de relações públicas, já que é apenas com ela que o trabalho de prezar pela imagem e reputação de uma empresa pode ser colocado em prática.

relacoes_publicas_era_reputacao

Todos esses fatores ajudam, ainda, na prevenção e no gerenciamento de crise. Com a marca muito mais exposta e vulnerável, qualquer deslize – dos mais leves aos mais graves – pode ganhar repercussão e fugir do controle da empresa. Assim, ter uma equipe de relações públicas bem preparada para se relacionar com os públicos, utilizando os canais adequados para transmitir informações direcionadas, de acordo com os interesses e perfis de cada um, faz com que seja mais fácil controlar repercussões negativas, já que manter o diálogo com o público passa a ser uma atitude enraizada na cultura da marca.

Entende-se, portanto, que a nova era da comunicação é uma oportunidade para que exista maior engajamento entre marca e público, uma vez que abre espaço para que o relações-públicas possa fazer o que ele sabe de melhor: relacionar-se com os stakeholders de uma instituição!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s